Habitam em dois Rincão (Pagode)

Todas as mulheres dizem que eu sou macho demais.
Em todos os meios elas tem persuasão.
Em minha vida conservo atitude de macho.
Detesto o tipo frágil e camisolão.
Em territórios que eu piso deixo a fama.
Mulheres me atacam sem deixar-me em exaustão.
Não sou gaúcho nem mineiro sou paulista de tutano.
Sou  neutro  com pederasta fala fino e sapatão.
Galinhas que cantar que nem galo.
Espere que eu vá desamarrar o seu estimado cordão.

Aonde eu pisar saibam que passou um homem.
Que detesta giletes que habitam em dois rincão.
Desejam queimar roscas então assumam sua raça.
Junto ao diabo na eterna habitação.
Deixem a mim as lidas senhoras.
Não fracasso meu titulo de potente garanhão.
Lesbianas associem com queima roscas.
Que vocês se ajeitam na feia ocupação.
Podem rejeitar os machões de verdade.
Queima roscas completem suas felação.

Dizem que o mundo é moderno olhem a triste mudança.
Do modo que estão agindo é pior que uma criança.
Diabo completa o cerco à medida que o tempo avança.
Os pais dão cursos aos filhos e fazem jactância.
Os filhos de menor não trabalham vivem em lambança.
Na febem ou penitenciária leva a vida ainda mais mansa.
Formam doutor camisolão diploma é só na fiança.
Na verdade é outra coisa pode pesar na balança.
Com todos os seus status tem tempo que pulam e dança.
Esposas têm mais some a praxe fica só na ordenança.

Composto em 5 de novembro de 2006 – às 16h02

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.