Caligrafia da Agenda (Rasqueado)

Seu nome na minha agenda eu guardo pra recordação.
Cada vez que eu abro agenda golpeia o meu coração.
Ligo e você não atende sem saber qual a razão.
Recorde nosso amor querida refrigere-me completando a ligação.

O número do seu telefone serve de jogo na telesena.
Olho o número lembrando daquela noite feliz e serena.
Penso que dá sorte número da borboleta que é a morena.
E o treze e quatorze é numero duma dezena.

Vira azar pego chorar ela na agenda que escreveu.
Caligrafia com dedos delicados marcou o destino e teceu.
Sei que ela também chora em sua agenda tem sinal dos dedos meu.
Que numa despedida magoada chorando foi o seu adeus.

Choro porque a distância são longa quatrocentas milhas separa.
Desespero ver a sua voz no telefone corro se o alarme dispara
Ao menos se ela me atendesse minha doença é certeza que sara.
Soprarei em seus ouvidos em importar da ligação que fique cara.

Borboleta de variadas cores azuis verdes brancas beleza rara
Teus reflexos só vêm no pensamento com o choque corações para.
Sua ausência nessa distancia meu interior vira coivara.
Sou caçador desastrado distante de minha capivara.

Composta em 15 de novembro de 2006 – às 9h35

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments