Faixa Branca se Aguarda (rasqueado

Tenho prazer em ser rico não pobre do mensalão.
Com aparência de status e com morada em prisão.
Que nem vermelho ficam com o dinheiro da união.
Vai aparecendo às desculpas, tratando de depressão.

Eles comem abóbora podres, meu alimento é cambuquira.
Vivo com o salário mínimo esse é o capital que gira.
Vivo cantando em bom humor, deixo de lado as caguira.
Ricos pobres em precipício mais da mamata não se retira.

Dizem serem da vanguarda ênfase em saúde educação.
Essas coisas são prometidas, só em épocas de eleição.
No fim sobra pirulito acalmando, toda a situação.
Observamos hospitais falidos e ministério público em ação.

Escolas firmam na violência, para alunos é fraca a lição.
Dizem dar atenção contra bandidos, mais é aumento ladrão.
Sem apoio na segurança, é sem sossego a população.
Cadê a faixa branca da bandeira, passou a ser cor de carvão.

Até que o mundo os acolhe tem arranjo em seu galardão.
Quem dá cartão vermelho é Deus com seus bustos na exposição.
Histórias latentes são forjadas, gatos que da tapa esconde a mão.
Dizem que brasileiro dá jeitinho, eleitor fica na alucinação.

Composta em 3/8/2014

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments