Amor sem Retorno (Tango)

Quantas saudades eu tenho do passado, passado com felicidade.
Quantas saudades eu tenho de você quanto jurou fidelidade.
Tempo ingrato judiou constantemente nunca faltou rivalidade
Nosso encontro coberto de carinho abraçava e beijava com facilidade.
Nosso encontro mudo era iniciado num beija longo, porém muito suave.
Cada dia do mês era aumentado nosso amor sempre mais saudável.
Sem esperar que um dia no futuro a infelicidade fosse tornar muito grave.
Meu destino explodiu foi pros espaços na aberração da fraquejada nave.

Fui acreditando também abusando, abusando da falsa firmeza.
Confiança que eu tinha se acabou do amor dela perdi a certeza.
Nosso encontro transformou como água de correnteza.
Tornou-se fria e desumana e gerando para mim corroída tristeza.
Corroeu e triturou deixando leigo afugentou minha maior riqueza.
Não era mais aquela que eu tanto amava também dotado de grande beleza.
Com capricho frio recebia orgulhosa com panca de princesa.
Estranha desleixada dum puro amor eu desanimei da minha amada Tereza.
,
A saudade que tanto criou raiz marcando fundo o meu coração.
Fez como a doença de chagas me atacou sem compaixão.
Ela devorou o meu miocárdio bichinhos atacou meu pulmão.
Meu fôlego encurtou falta de amor acelerou forte minha depressão.
Perdi o gosto da vida só recordando de todo tempos bom.
Amor tornou falso sem retorno sou doente escasso de cirurgião.
O vírus molesto atacou na U.T.I. é o fim duma ilusão.
A saudade aos poucos levará para os fundos de um frio caixão.

Composta em 18 de novembro de 2006 – às 13h55

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments