Mata Borrão do Amor (Toada)

 

O metrô deixou-me triste por deixar na estação.
Desesperado eu fiquei com tamanha dor.
Metrô foi muito injusto sem ter dó de mim.
Carregando para longe meu grande amor.
Sei que não vou mais ver meu anjo.
Contrariada e muito doente ela se embarcou.
Câncer maligno ela foi para o hospital.
A sua morte o médico a mim justificou.

Com nosso amor impecável fico refletindo.
Os longos anos abrangeram a nossa felicidade.
Balbuciando seu nome estou arrefecido.
Porque dos bons tempos Registro saudade.
Desde a juventude nós fomos muito unidos.
Dia e noite no sítio nós vivia cantando
Em primeira voz melodiosa ela se destacava.
Câncer na rapina foi cortado os meus planos.

Estou aguardando a hora crucial em pesar.
Que posso receber depois da cirurgia.
Porque se ela morrer minha vida derrete.
Também não quero ver mais a luz do dia.
Como um ciclone que tudo se acaba.
Lembro pormenores do primeiro namoro.
A vida corroeu no tempo imprevisto.
Sem conter secreto de todo o meu choro.

Composta em 10/2/2009

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments