Ausente da Leonor

Sol e lua ambos combinaram, Dando claridade porque triste notaram.

No meu sofrimento prontinho ajudaram. Da minha masmorra de amor libertaram.

Minha tristeza latente eles notaram. Percebendo minhas tristezas choraram.

Veio uma nuvem atrás da serra telefonaram. E as lagrimas deles enxugaram.

Só a Leonor esfriou o amor lua e sol avisaram.  Inimigos os que mais gostaram.

 

Confio sim na sua claridade ó sol. Também na solitária amiga ó lua.

Amor que eu tenho por aquela mulher. rta lenço bombaGuerreio para que ninguém destrua.

Imito as ondas das marés altas do mar. Erupção dum vulcão que flutua.

Meu coração irradia amor, uma tempestade. Chora de felicidade corisco que perpetua.

Morrerei na crisálida preso do amor.  Lar feliz com suas delícias construa.

 

Aquecendo sol amigo junto. Das flores que desabrocham da primavera.

No verão sua claridade. Florindo e suprindo na decadência do amor.

Lua no inverno nas geadas. É anual aqueça sem desistir.

Na fotossíntese sol cure. Rigorosa dando calma na minha dor.

Mundo presencia estimulando. Com a resistência e eficiência terapia.

Sem vocês sol e lua sou bagaço. Vivendo ausente da Leonor.

 

Composta em 11/12/2006

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.