Flor de Maracujá (Valsa)

Chamar de querida ou de amor é séria responsabilidade.
Que eu reservo a você ó linda flor de maracujá

Nos seus tentáculos sou feliz, não separo deste átomo quero viver.
Meu núcleo meu oxigênio minha fotossíntese é só de você.
Sem você tirarei o vapor da atmosfera derreto energia do qual é o seu viver.
Portanto amor une nosso mutuo calor neste mundo traidor vem me obedecer.

Portanto amor aqueça também com seu outro calor é minha vida o seu amor.
Na solução química faz depender dos ambos o calor eu também dependo do teu calor.
Seu calor com vapor transmita-me seu terapêutico pudor dependo deste sincero amor
Flor de maracujá vem ame amar moreninha que faz sofrer, é você que tira-me essa dor.

Atrás das paredes faço investigação teu coração esquadrinhar.
Confio sim em teu amor quero ainda mais te conhecer flor de maracujá.
Será incapaz de me trair fora dum nível nosso detergente é incorrosível.
Quero ser casto um emplasto amar até nas intempéries impossível.

Num mundo louco amor é pouco e os congelados têm de perecer
Mostramos aos desafortunados, Ó quanto é bom amar e viver.
Amar a Rita é viver sem desvanecer amar até nós morrer.
Serei a válvula do seu coração, pois amar é bom é tudo que reservo a você.

Composta em 12 de novembro de 2006 – às 9h20

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.