Frágil coração (Valsa)

Tuas faltas não posso mais suportar.
Não consigo obter reconciliação.
Chegou a um ponto insuportável.
Acabou ânimo no meu frágil coração.
Encontro com você some minha alegria.
Sei que nosso drama isentou de solução.
Minha esperança era o maior anelo.
Hoje um flagelo que derrotou nossa união.

Ai, Ai, Ai, ai, suporte ó frágil coração.
Ai, Ai, Ai, ai, como é amarga a desgraçada ingratidão.

Cansei na iniciativa de sempre te buscar.
Alforriada de amor com toda minha afeição.
Sua vida em processo de metamorfose.
Mas decaindo na nudez em transformação.
Também minha alegria esgotou-se para sempre.
Por observar-te em contra mão.
Sofreu desastre numa vida de conforto.
Hoje permanece morto num estudo sem função.

Nosso amor que era imaculado hoje apartado.
Sem fio de meada numa imensa confusão.
Um coração que permanece esmigalhado.
Você não faz nada para que volte nossa comunhão.
Arrancando os cabelos chamando o seu nome.
As palpadelas receio até pisar no chão.
Meu sonhos relaciona  com nosso amor.
Só venha ver constate que como lagrimas ensopam meu colchão.

Composta em 14 de novembro de 2006 – às 21h12

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments