Adélio Carlini Valsa Meu Sincero Amor (Valsa)

Meu Sincero Amor (Valsa)

Você pode decidir se gosta de mim;Assim posso ter solução também refrigério
Não posso viver em luta  exausta indecisa Sonhando a felicidade que venero;
Já acostumada viver igual dinheiro D mão em mão com os interessados
Todos sem amor não culminará Só meu sincero amor que esta acoplado ;
Não amando a verdade só terá tormento Por não escolher um casto coração
Morro desesperado  corroído de  intenso ciúme Lamurio o fracasso distante do perdão
Seu nome balbucio sem ficar cansado É assunto constante das minhas canção
Vejo  sorrindo quando estrofe muda;Mas lamenta comigo as cordas do violão

Estou empenhado em pedido pra Deus; Porque só ele sabe certo a razão
Faça meu Deus sonho ter a realidade   Fazer do nosso amor ser toda ocupação
Que eu estarei  confiante esperando; Na  metamorfose  mude de ação
Ainda não achei quem equipare sua formosura Numa nação de muitos milhão

Composto em 20 de julho de 2006 – às 12h10

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Conteúdo relacionado