Preço da Lagrima (Valsa)

Você sabe o preço de toneladas de lagrimas
Já calculou quanto custa uma desilusão
Se tiver conhecimento pode anotar
Ó quanto vale uma fisgada no falso coração
Conhecendo o desarranjo num fiel amor
Esquadrinhe agora conhecendo a ingratidão
Num caminho está longo irreversível
Chora olhando no horizonte a dor da paixão

Só vê a sombra do passado feliz
Você sem conseguir ter mais a relação
Um buraco na água que consegui
Mas sem conseguir entender a razão
Castelo de ouro era seu sonho
Abalo sísmico deixou tudo ao chão
Hoje você é um simples cascalho
Que foi rodando obrigado na erosão

É tempo de desfolhar seu rosário em lamento
Sem Deus ouvir tua falsa oração
Nem cartomantes ou sim todas videntes
Descobriras o caminho da reconciliação
Novatos que aproximam ficam enojados
Melhor que eu descubro que é sem solução
Lembrando o tempo fértil de outrora
Hoje ninguém faz peso no seu colchão

Teus costados não negam raça pensam que tem mala
Igual bagual ou cachaço no mangueirão
Sua vida é viver em tarrafa nos peixes melhor
Mas é só os cascudos que vem na fieira ou só camisolão
Nem com viagras ou nó de pinho e acessórios
Você só vê pirambóias ou cordel de mamão
Bimba fica nas reservas nos bancos da seleção
Esquartejada observa o metrô errando sem atingir estação

Composta em 04 de dezembro de 2006 – às 09h13

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments