Adélio Carlini Valsa Tangará no Galho (Valsa)

Tangará no Galho (Valsa)

 

Quando a lua está no minguante muito arisca ela se entorta.
Só observa o Sol seu marido olhando nas festas da porta.
Quando ela esta no crescente o sol começa brilhar animado.
Mas só ficam de pega, pega ele fica triste chora fracassado.

Quando a lua esta em fase nova, daí o sol ocupado dela esquece.
Tempo em que ela esta num horizonte de outro lado o sol aparece.
Quando a lua ficando bem cheia daí que mais ele separa.
Sol iluminando ela com intensidade ele garante a noite e ela é clara.

Assim vive casais que trabalham um vai ao serviço outro vai dormir.
Aos domingos nem um está de vês ela lava roupas ele vai ao bar advertir
Quando ela sai de férias complica ele vai a Mato Grosso pescar.
Ela atarefa com os estágios isola o marido em ultimo lugar.

Só que o sol brilha na eternidade a lua também quer imitar.
Remate é de humanos ocupados solução é na lei divorciar.
Marido transforma em boêmio incomodando outros infiltrados em bar
Esposa fica igual tangará pulando não tem galhos que gostem de apoiar-se

Composta em 26/10/ 2006

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Conteúdo relacionado