Vestido de Rendinha (valsa)

Naquela praça central cidade que você morava.
Onde o moço em cortejo em minúcias acompanhava.
Toda a noite exibindo com vestido de rendinha eu via.
Com seus cabelos compridos e um cinto que prendia.
Eu ficava meditando vendo que nosso amor ia nascer.
Um dia ia amar e depois chorar e se arrepender.
Meu pensamento permanece como era no passado.
Meu coração está firme mais o seu infeccionado.

Parecendo um pesadelo mais você estava acostumada.
Inferno veio depois de família estar criada.
Tua cabeça foi virando até que o tanque arrombou.
Um bilhete na mesa provando traição da Leonor.
Divórcio esta querendo para bem longe e livre ficar.
Não recorda como o amor nasceu agora exterminará.
Caminhos lindos apresentaram transformou sem solução.
Remate do meu amor sincero que foi para o roldão.

Só tenho um advogado que não perde uma causa si quer.
Resolve com justiça meu amor que morro por essa mulher.
O vestido de rendinha nem verterá em sua imaginação.
Hoje é muito conhecida nas lojas de confecção.
Dão tarefas as costureiras com panos de exportação.
Esquece de uma mega poupança com as dezenas de cartão.
Mas lembre de onde veio a fonte quem deu esses milhão.
Não dei vestido de rendinha mais dei elite na associação.

Composta em 2006 Hora 20:00

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments