Escolhendo as Horas (valseado)

Sou idoso na Rua Sofia. Sou respeitado na vila Santa Terezinha.
Paralelo na sorveteria. O tempo de folga que me esquadrinha
Mais não tenho freguesia. A vida feliz que ninguém adivinha.
Odeio o rumo da carestia. Vivo devorando jabá sem farinha.
Não gosto de quarto enfeitado Mais gamado em mulher bonita.
Aprendi fazer agrados Escolhendo as horas aprazíveis e benditas.
Com meus anseios são dobrados quando no amor a gente medita.
Grande tempo que não senti. Só vejo que o meu vigor se limita.

Tenho o mundo sempre aberto. Procuro andar de cabeça erguida.
Esforçar em fazer o que é certo. Pra ter a alegre e protegida.
Sempre ter Deus por perto. Porque hoje a moral está falida.
Avançando e sempre alerto. Pra não ter a alma ferida.

Composta em 7/10/2014

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments