Flores Fora da Primavera

Cristina declarava resoluta que seu amor não tinha preço.
Fui ficando entusiasmado acertei um dia o seu endereço.
Meus prazeres  desvaneceu transformando tudo aos avessos.
Não era o que era esperado obtive aquilo que eu mereço.

Em pouco tempo que passou foram por terra o meu apreço.
Cristina bonita e vaidosa é bem por isso que eu aborreço.
Dos rolos falsos conquistados quero ver se um dia esqueço.
Me enganou com a virgindade jogando eu para o arremesso.

Mesmo assim sendo logrado castigado o tanto que padeço.
Voltei para os braços da Clemilda que com sobra eu abasteço.
Clemilda não tem galanteio com ela jamais pago o mico ou enfureço.
Tenho ela firme ao meu lado com o seu recurso é que eu cresço.

Cristina permanece distante é de um sonho falso que faleço.
Bem duro deixar nos arquivos com o coração que é um gesso.
Metamorfose volta no início com a Clemilda não pereço.
Tenho flores fora da primavera com seu estímulo eu reabasteço.

Composta em 8/3/2015

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments