Morrendo na Estrangula (Valseado ou Poema)

Morrendo na Estrangula (Valseado ou Poema)

Perdi o gosto porque irritou o meu estapédio.
Nos enlevos fico exausto no meu caso olho estanha.
Sujeitei meu açude não estanco lá vai sucesso.
Não fiz caso da estampa e miocardite me banha.
Em desespero sem estática na estase do assunto.
Escapou o freio bati na estereobata foi o desastre.
Fingia estar na estica no estipêndio me engraço.
Praxe é governar estética sem que ela se afaste.
Cortava dez estéreos todo dia pra o corpo castigar.
Criado na agricultura eu tropeço na esteva resolvo.
Vistoria em zona estepe ela não me escapa.
Ausente da estalactite eu isolo tentáculos de polvo.
Sem desprezar estalagem sem desejo de estiagem.
No masoquismo apaixono no estalicídio completo.
Estafeta informa estimula meu ambiente.
Meu estágio vai ser o remate predileto.
Minhas lágrimas estagnam forma um estafaréu.
Dia inteiro canta sabiá nem assim me estimula.
Vem no pensamento nosso idílio salutar vivido.
No sufoco os dias é perpétuo morrendo na estrangula.

Composta em 19 de novembro de 2011

Morrendo na Estrangula (Valseado ou Poema)

Perdi o gosto porque irritou o meu estapédio.
Nos enlevos fico exausto no meu caso olho estanha.
Sujeitei meu açude não estanco lá vai sucesso.
Não fiz caso da estampa e miocardite me banha.Em desespero sem estática na estase do assunto.
Escapou o freio bati na estereobata foi o desastre.
Fingia estar na estica no estipêndio me engraço.
Praxe é governar estética sem que ela se afaste.
Cortava dez estéreos todo dia pra o corpo castigar.
Criado na agricultura eu tropeço na esteva resolvo.
Vistoria em zona estepe ela não me escapa.
Ausente da estalactite eu isolo tentáculos de polvo.
Sem desprezar estalagem sem desejo de estiagem.
No masoquismo apaixono no estalicídio completo.
Estafeta informa estimula meu ambiente.
Meu estágio vai ser o remate predileto.
Minhas lágrimas estagnam forma um estafaréu.
Dia inteiro canta sabiá nem assim me estimula.
Vem no pensamento nosso idílio salutar vivido.
No sufoco os dias é perpétuo morrendo na estrangula.

Composta em 19 de novembro de 2011

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments