Caixa Eletrônica (Vanerão)

Caixa eletrônica muito usada até que um dia precisou de reparo.
Cena triste foi o resultado balas no bumbum foram certos o disparo.
Marido fingia não saber e arquivou até que um dia fundiu extravasaram.
Uma briga feroz com o fim da novela caixa não sabia quem mais te amaram.
O seu amante furado de balas viu que o ciúme provoca abalo.

O gambá bem sucedido ia à ceva escorregando cantando de galo.
Mas o Lampião o Rei do cangaço fez o papudo cair do cavalo.
Fez emboscada segura eficaz o rival não sentiu nem o faro.
O lampião exausto de ver chifres e mais chifres enchendo o gargalo.
Até que um revólver colt cavalinho deu sumiço com três estalo.

Caixa eletrônica continua usada o concerto foi bem aplicado.
Até que um dia outro raio celeste ponha fim nos seus pecados.
Ninguém pense que só sai com a vitória que tudo foi bem tramado.
A ceva que era atraente os rastos sujos ficam arrasado.
Todos observem a perfeição tem perseguição que controla satanás o diabo.

Algum dia inverterá a situação talvez esteja perto a má sorte dela
Ou é parar seca em um caixão e com trinta anos de cela.
Ainda tem Deus no seu encalço tem dia certo pra apertar as fivelas.
O nosso vigia não é sonolento dia e anos de sentinela.
A caixa eletrônica tanto usada dispensará suas clientelas.

Composta em 25 de outubro de 2006 – às 15h06

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments