Imite a Natureza (Vanerão)

Horas e horas virando no leito levantei ver o arrebol.
Dias e meses anos se passam repetindo vivo só, vivo só.
Desprezado chorando na luz da lua ou luz do sol.
Despede a dálva  também chorando  astro rei isolou e não tem dó.

Espero as notícias suas olhando a lua correr no firmamento.
Mas nada de me alegrar meu sossego torna isento.
Nas madrugadas de orvalho abandono meu aposento.
Contemplando a natureza que garante o documento.

Você imite a natureza de fim em sua falsidade.
Lembre de quem nos uniu  num só coração de amor.
Laço apertando a charrua faz aprender a fidelidade.
Igual um pantaneiro choro de amor e de dor,

Uma coisa eu te digo só você para dar a solução.
O teu regresso invertido me deixará eu super contente.
Imite a natureza com amor firme no coração.
Senão sua falsidade me matará eu de frágil e doente.

Composta em 1 de agosto de 2006 – às 14h45

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments