Lobos Vorazes (Vanerão)

Lobos vorazes com fome canina apesar da fartura que vive.
Olhos venenosos hipnotizador mesmo que a maré esteja baixa o nível
Oferecendo o real que não existe anel de latão e sem calibre
Trocando de óleo sem marca o bolso furado incorrigível
Lobos esta correndo a procura a qualquer custo lapidar a gengibre
Mesmo com a carreira perdida o mais importante é usar o declive;
Carro novo marca macarronada mais só dois reais de combustível.
Moto do ano alta cilindrada e o mais importante é impossível.

Tem de admitir os lustros e decênios sem ter prazer do morto falível.
Quer infiltrar em matas atlânticas e as cavernas não são atingíveis.
Só os braços quer ser cipó parasita torna barrado e desprezível.
O lobo fica isolado na guarida seus depósitos não é atingível.
Nó de cachorro e boa catuaba e com viagra pra ser corrigível.
Melhor é imitar gato de armazém debruçado em cima dum saco se comestível
Fica louco colérico varrido vê muitos chifres dentro do vestigem.
Se tiverem reais rompe à represa é maneirado sem bis ou reprise.

Igual um touro castrado faz e não faz no rebanho inatingível.
Lá fora é garanhão voraz mais em sua casa tornam redutível.
Plantou melancia na beira da estrada. Torna os chifres possíveis.
Idade deixa surdo cego na bengala musicas não é audível.
Só ficando de luz apagada por ter queimado o fio ou fusível.
Depois da carteira verde vermelha otário é empurrado torna espelivel.
Mais sua alegria da sua presa que o lobo fique fora do convive
Lobo deixa de ser voraz felino dedo e língua é a mais de utilivel

Composta em 21 de outubro de 2006 – às 12h35

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments