Pensando o Contrário (vaneirão)

Pensando o Contrário (vaneirão)

Dizem que praga ruim não more com geada. Eu pensava ser um exagero.
Quanta gente boa morrendo tão fácil. Permanecem as escórias e o marinheiro.
Ao armar o esquema nos estipula. Sendo seu factótum era seu prazenteiro.
Persuadindo com sua facúndia. Dei fim violento nos fecha bodega rampeiro.

Dizia ser estrepe na vida dela. Mais distante chora sem ser consolada.
Aclimatou na vida de rainha. Hoje entristece por estar desprezada.
Amor que apresenta distante da verdade. Só de maneira ousada.
De vida nobre escasso  de cobre.Não acostuma ser uma empregada

Esteja bem certa  que sua atitude.Aí fora o mundo reserva pedrada.
Eu de coração partido dou uma lição. Você facilitou essa encruzilhada
Se é a Dalila eu não sou Sansão. Quero viver distante de sua jornada
O sofrimento a me ver livre. De uma vida  perdida  mais recuperada.

Composta em11 de Dezembro de 2011

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments