Turismo Natura (Vanerão)

Na excursão de turismo, tudo aconteceu. Quando o priapismo não obedeceu.
Aminha perna enfraqueceu. Naquela caverna depois que escureceu.
No monte de Vênus o velho subia Estalactites pingava tudo acontecia.
Numa viela apertada consegui atravessia Num lago aquoso sem calmaria.

Tudo era um gozo mais deu convulsão Nosso petisco naquela excursão.
Você estava ansiosa por uma refeição. No apetite de grosa conseguiu comunhão.
Um imã atraia em pólo positivo. Com calor da energia foi o aperitivo.
Nossa sensação tornando afetivo. Longa viagem de ação com grande objetivo.

Nosso masoquismo quem ver tem pavor. Este turismo sem medir o valor.
Encruzilhada torta só vê o som do motor. Na mata fechada num tufão de amor.
Sessenta e nove escolhemos a poltrona. Onde tudo se move na louca maratona.
Na gruta escura esticava a sanfona. Pneu partiu porque estava na lona.

Pneu careca mais os bolsos cheios. Saiu do pântano banhado partido no meio.
Não secou em contração quebrou fitas de freios. Encapotou enrolou ficou feio.
Cabeça com enxaqueca eu sofri vomitei. A linda boneca num grunhido eu abracei.
Parece que chorava num beijo amordacei. E a viagem com sucesso eu encerrei.

Composta em 28/8/2006 Hora 9;15

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments