Cachimbo Caem (xote)

Cachimbo Caem (xote)

Naquela casa onde a gente entra e   sae o importante é quando vem e depois vai.
As juventudes lutam naquilo que mais atrai muda o bom pensamento cochila e o cachimbo cai.
Seu ânimo roda some e tudo se esvai daí já é tarde sem poder dizer  bai-bai.
Anfitriã deprimida com nada mais distrai nasce xaxim na sacada sem as bênçãos do papai.

Tapera abandonada ruída cheio de bicho de cupim era adornada  perfumada no ínterim.
Secando a hospedaria murchando todo o jardim infesta de morcegos e corujas é o fim.
Fica nua  na manchete sem usar o camarim  ruída falecida sem toque de clarim.
Fantasma na sala e corredor é desastrado o Zé e o Joaquim reúne companheiras  no botequim.

Assim é aquela que muda a cabeça e coração joga fora riqueza despreza boa união.
Arrepende e chora quando avança a depressão só unem com sua classe dos estimado sapatão.
Isola filhos e maridos vai noutras associação usando botas e o impecável  batom.
Cachimbos caem na hora do bem bom e não chore mais piorando a situação.

Em 12 de novembro de 2006 hora

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments