Tempo Especial a Todos (Contos)

 

Ao redor da fogueira em tempos de frio sertanejos contam causos e vi um que dizia dois compadres um rico e outro paupérrimo, e o rico o tempo todo era só fazer pilhéria do pobre com sarcasmo em tudo. Até que o pobre resolveu passar uns dias fora para aliviar os nervos mais voltou no mesmo dia. Sabem porquê? Não muito distante de sua casa ao lado do caminho um matagal e outro lado um arroio. Escutou

uma voz que disse  estou com frio quero ir até o sol ele entrou no mato um crocodilo enorme carregou e levou ao sol, E que pedia aos levar de novo no mato e de vês em quando queria água que com folhas de caeté ia ao arroio e abastecia o crocodilo. Quando o sol já estava no crepúsculo o crocodilo disse enfia a mão no fundo de minha boca e acharas uma alça tire  que é tudo seu, mais de medo disse:é você não  vai engolir meu braço.Não. E ao achar a alça trouxe para fora um caldeirão que ficou tudo dourado era só ouro.  E chegou cansado na casa e mandou seu filho emprestar do compadre rico uma balança de precisão para pesar o ouro. Que disse em escárnio logo mais quem pesar ouro, mas resolveu confirmar. E disse amanhã cedo vou também Lá foi e achou o crocodilo só que estava mudo não pedia nada mais ele os levou e fez tudo ou até mais, a tarde disse…. Ué ele não diz nada vou ver o que tem dentro da boca dele. Levou ”a mão ao fundo e o crocodilo comeu seu braço inteiro ficando maneta”, “pois a inveja ou olho gordo produziu azar” oportunidade foi só uma. Hoje ricos insaciável só buscam e para sua derrocada Eclesiastes 5:10

Composta em 10/9/2009

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments